A CCDRC editou recentemente o livro “À Beira da Água”.



Os recursos do território são activos fundamentais para o seu desenvolvimento importando, por isso, usá-los, preservá-los e, sobretudo, valorizá-los. Este livro é um pequeno contributo para a valorização de um recurso importante para o desenvolvimento sustentável da Região Centro: a água.

 

 

A Região Centro é uma região “feliz na condição hídrica que lhe dita o seu lugar no mundo e no país”. A afirmação é de Luísa Schmidt e Pedro Prista, responsáveis pelo texto introdutório do livro.

O livro foi escrito por onze autores, que foram convidados a escrever sobre diferentes aspectos ligados à água:
 
 
 
Fernando Rebelo, da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, escreve sobre as paisagens que a água desenha na Região. José Manuel Martins, da Universidade de Aveiro, é responsável pelo capítulo dedicado às actividades económicas. Frederico Teixeira, da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, á o autor do texto que aborda os aspectos ligados à saúde. Manuel Graça, do Departamento de Zoologia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, escreve sobre os ecossistemas aquáticos, espaços de grande valor ecológico e paisagístico. Traça de Almeida, da Universidade de Coimbra, sublinha o contributo da água para a produção de energia limpa. Anthimio de Azevedo, climatólogo, fala sobre a relação da água com o clima e as alterações climáticas. João Carlos Marques, da Universidade de Coimbra, escreve sobre o mar. Carlos Costa, da Universidade de Aveiro, explora as potencialidades turísticas dos espaços de água da Região. Ana Pires, da CCDRC, é autora do capítulo que encerra o livro, “Uma região à beira da água: um registo de sageza”, procurando os sinais que traduzem a utilização da água e a sua relevância na história das comunidades. António Luís Campos é o fotógrafo responsável pelas mais de 200 fotografias do livro.

 

O livro foi apresentado publicamente no passado dia 27 de Maio, no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, espaço escolhido pelo simbolismo que encerra na relação com a água.