concurso ageeing 2017

“NoMicro Technologies”,  da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e do Centro de Neurociências e Biologia Celular, “Cuidados especializados para demência”, da União das Misericórdias Portuguesas – Unidade de Cuidados Continuados Bento XVI (Fátima) e “Novas Primaveras” da Sociedade Artística Musical dos Pousos (Leiria) são os três projetos  vencedores do concurso de Boas Práticas de Envelhecimento Ativo e Saudável na Região Centro, promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), em estreita colaboração com os membros fundadores do consórcio Ageing@Coimbra (Universidade de Coimbra, Administração Regional de Saúde, Instituto Pedro Nunes, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e Câmara Municipal de Coimbra).

Os vencedores deste concurso, que tem como objetivo aumentar a divulgação e o reconhecimento de projetos e iniciativas que promovam o envelhecimento ativo e saudável na Região Centro, foram hoje apresentados em Coimbra, no 5º Congresso Anual do Consórcio Ageing@Coimbra.

Vencedor da categoria Conhecimento+, o projeto “NoMicro Technologies”, apresentada pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e Centro de Neurociências e Biologia Celular, oferece um penso para aumentar a cicatrização de feridas crónicas e prevenir a sua infeção microbiana e encontra-se atualmente a realizar a prova de conceito em modelos pré-clínicos e a atrair financiamento para colocar a tecnologia no mercado.

O projeto “Cuidados especializados para demência”, da União das Misericórdias Portuguesas – Unidade de Cuidados Continuados Bento XVI, foi vencedor na Categoria Saúde+. Trata-se de uma unidade piloto, a funcionar desde 2013, dotada de competências ambientais, profissionais, clínicas e terapêuticas próprias e é hoje um modelo de referência na área de cuidados continuados para utentes com problemas cognitivos ou demência. É composta por 20 camas de média duração e reabilitação (até 90 dias) e 30 camas de longa duração e manutenção (preferencialmente até 180 dias) e ainda 10 camas em regime privado.

Na categoria Vida+ foi vencedor o projeto “Novas Primaveras” da Sociedade Artística Musical dos Pousos (Leiria), que se trata de um programa de terapia pela arte, dedicado à terceira e quarta idades. Tendo-se iniciado em 2004, abrange diariamente cerca de 1271 utentes diretos e 84 indiretos, de entre cerca de 30 Instituições dos concelhos de Leiria, Batalha, Fátima e Pombal oferecendo-lhes a oportunidade de participar ativamente em projetos nas áreas da música, dança, teatro, poesia e outras artes.

O júri distinguiu ainda com Menção Honrosa os seguintes projetos:

  • Projeto “FallSensing: Technological solution for fall risk screening and falls prevention”, apresentado pelo consórcio formado pelas entidades Sensing Future Technologies, Fraunhofer Portugal AICOS e Coimbra Health School (Instituto Politécnico de Coimbra). O “FallSensing” é uma solução tecnológica inovadora que permitirá a avaliação de múltiplos fatores de risco de queda e a implementação de programas de prevenção de quedas em adultos a partir dos 50 anos, de acordo com o risco de queda e o contexto residencial. O projeto encontra-se em fase de protótipos e com vários pilotos no terreno, para diferentes utilizadores finais.
  • Projeto de investigação-ação “Envelhecimento ativo saudável e participativo”, apresentado pela Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra. Este projeto é centrado na implementação de programas de exercício físico de longa duração (28 semanas) em lares da cidade de Coimbra, tendo em conta os prováveis efeitos positivos do exercício físico na modulação dos marcadores de fragilidade (níveis de força, velocidade de marcha, níveis de atividade física e perceção subjetiva de exaustão) e ainda, na mediação destes pelo sistema imunitário e/ou neuroendócrino.
  • Projeto “Estimulação Cognitiva: Prevenção da Fragilidade em Idosos”, apresentada pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra. O Programa de Estimulação Cognitiva–Fazer a Diferença (PEC-FD) oferece uma sequência de atividades aprazíveis que abarcam domínios cognitivos como atenção, linguagem, raciocínio, memória, processamento visuo-espacial e funções executivas, sendo o seu objetivo a prevenção de declínio cognitivo, isolamento, solidão e sintomas depressivos, bem como a promoção da pró-atividade, interação social e autonomia. Atualmente, o projeto está a ser realizado nas regiões do Centro e do Alentejo, abrangendo até ao momento 2000 pessoas, com a idade ≥ 65 anos.
  •  “Programa de Atividade Física Movimento Maior”, apresentada pela Câmara Municipal de Ílhavo. O programa foi criado em 2006, com 11 participantes, tendo na época 2016/2017 terminado com mais de 400 inscritos. O Movimento Maior é um projeto de gerontomotricidade dirigido aos seniores do Município de Ílhavo, com idade igual ou superior a 60 anos e consiste num conjunto de práticas desportivas regulares que visam proporcionar à população mais velha do Município, uma melhoria objetiva da sua qualidade de vida, a integração social e a participação na vida social e cultural da comunidade. Integram o programa modalidades como o Boccia, Danças de Salão, Exercícios de Manutenção, Hidroginástica, Iniciação à Natação, Técnicas de Relaxamento e Zumba.
  • Projeto “IDADE XXL”, da CEDIARA – Associação de Solidariedade Social de Ribeira de Fráguas (Albergaria-a-Velha), um projeto intergeracional, de interação e partilha entre várias gerações. Surgiu com o objetivo de valorizar os conhecimentos dos idosos, a sua sabedoria acumulada, desmistificando o conceito de que a velhice é sinónimo de incapacidade e sedentarismo, incentivando os idosos a novos desafios. O projeto é composto por três eixos: “Senhores Sabedoria”, “Gerações com Vida” e “Concretização de Sonhos”. Este projeto decorre desde 2007.

Projeto “Fundão tecido de afetos”, do Agrupamento de Escolas do Fundão. O projeto “Fundão tecido de afetos” tem como objetivo o encontro intergeracional entre idosos institucionalizados de várias aldeias do concelho do Fundão e alunos do 1º ciclo e do curso profissional de técnico auxiliar de saúde. Este projeto pretende envolver crianças, jovens e idosos, num processo de partilha e de troca de experiências, reinventando uma arte tradicional, as mantas de ourelos, que os idosos da região bem conheceram e que muitos deles desenvolveram no passado. Para as crianças e jovens foi a oportunidade de conhecerem uma atividade regional tradicional, que puderam reinventar e adaptar aos novos tempos, contribuindo para o desenvolvimento de competências mais abrangentes. As mantas de ourelos, antigamente muito usadas na Beira Baixa, foram agora também tecidas em teares tradicionais com ourelos ou fitas, obtidas a partir do corte das peças de vestuários que já não tinham utilidade.