“Praça Vida+”, do Instituto Pedro Nunes e da Universidade de Coimbra, “Saúde mais perto de si!”, da Associação de Socorros Mútuos Mutualista Covilhanense e “EU no musEU - programa para pessoas com demência e seus cuidadores” do Museu Nacional de Machado de Castro e da Alzheimer Portugal são os três projetos vencedores do concurso de Boas Práticas de Envelhecimento Ativo e Saudável na Região Centro, promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), em colaboração com o  consórcio Ageing@Coimbra.

Os vencedores deste concurso, que tem como objetivo aumentar a divulgação e o reconhecimento de projetos e iniciativas que promovem o envelhecimento ativo e saudável na Região Centro, foram hoje apresentados em Coimbra, no 6º Congresso do Consórcio Ageing@Coimbra.

Vencedor da categoria Conhecimento+, o projeto “Praça Vida+”, apresentado pelo Instituto Pedro Nunes e pela Universidade de Coimbra, consistiu num evento organizado no âmbito do projeto europeu Healthy Lifestyle Innovation Quarters for Cities and Citizens (HeaLIQs4Cities), que decorreu em julho de 2018, no Alma Shopping, em Coimbra. Teve como objetivo primordial a promoção de estilos de vida saudável focando-se primariamente no cidadão. Durante o evento, foi possível participar numa avaliação de estilos de vida saudável, baseada em diferentes componentes da saúde e bem-estar. Paralelamente, foi possível aceder a informação sobre projetos, iniciativas e consórcios na área do envelhecimento ativo e saudável, testar tecnologias inovadoras de empresas locais, bem como participar em debates e mesas redondas sobre vários tópicos relacionados com bem-estar e estilos de vida saudável. Estima-se que 300 pessoas avaliaram o seu estilo de vida e cerca de 2000 cidadãos participaram nas atividades.

O projeto "Saúde mais perto de si!", da Associação de Socorros Mútuos Mutualista Covilhanense, foi o vencedor na Categoria Saúde+. A boa prática consiste numa Unidade Móvel de Saúde que presta serviços de enfermagem, cuidados médicos e apoio psicológico e social, dirigidos à população mais idosa das freguesias rurais do concelho da Covilhã, com limitações físicas ou geográficas. Sendo a falta de atividades, ou mesmo inatividade, dos idosos bastante expressiva neste território, o projeto contempla ainda uma “Oficina de Atividades” móvel que promove a criatividade, a aquisição de competências e o desenvolvimento de competências individuais e sociais. O projeto engloba 25 entidades parceiras, presta cuidados de enfermagem a 1500 idosos e de saúde a 350 idosos.

Na categoria Vida+ foi vencedora a boa prática “EU no musEU - programa para pessoas com demência e seus cuidadores”, do Museu Nacional de Machado de Castro e pela Alzheimer Portugal. O programa baseia-se num espaço de fruição e socialização para pessoas com demência e seus cuidadores. Possui várias abordagens complementadas com teatro, música, dinâmicas de grupo, contos, yoga, biodanza e sessões temáticas asseguradas por especialistas externos. A eficácia do programa é ainda assegurada pela criação da figura do “cuidador formal em sessão”, voluntários que, durante as sessões, acompanham cada pessoa com demência e providenciam a sua segurança, a satisfação de necessidades básicas e bem-estar geral. Durante os sete anos do programa foram realizadas 66 sessões mensais e participaram mais de 50 voluntários, 28 pessoas com demência e 36 familiares que são cuidadores.

O júri distinguiu ainda com Menção Honrosa mais sete projetos:

•    Projeto “Apoiar no autocuidado de utentes e cuidadores”, apresentado pelo Instituto Politécnico de Leiria. O projeto consiste no desenvolvimento de produtos e recursos de apoio para o cuidador informal, designadamente, manual de apoio ao cuidador informal, vídeos demonstrativos de técnicas e procedimentos para apoiar o cuidador informal no cuidado à pessoa dependente,  plataforma digital integrando profissionais do hospital e dos cuidados de saúde primários.

•    Projeto “Sistemas Interativos para Reabilitação Motora Baseados em Neurociência”, apresentado pelos Grupos CMM e CMV. Através da utilização de realidade virtual, é possível melhorar as atividades motoras e cognitivas dos indivíduos, otimizando o potencial de reabilitação. Em indivíduos com sequelas de patologia neurológica, com comprometimento do membro superior, a prática repetitiva de tarefas através de realidade virtual permite numa reeducação motora mais eficaz, melhorando a neuroplasticidade induzida pela utilização constante do membro superior.

•    Projeto «INCOGNUS: “Inclusão, Cognição, Saúde”». apresentado pela Santa Casa da Misericórdia de Vila Velha de Ródão. A boa prática compreende a realização de avaliações psicológicas, de apoio psicológico, de cuidados de enfermagem, de sessões de estimulação cognitiva e multissensoriais, de exercícios de estimulação cognitiva com recurso a um sistema online integrado (COGWEB) e reavaliações psicológicas que permitem analisar as alterações que vão surgindo com o processo de envelhecimento e a partilha da informação com os cuidadores informais de pessoas com demência. O projeto é realizado nos domicílios, nos centros de dias, nas juntas de freguesia e nas associações locais. Decorre desde 2016 e destaca-se a realização de 1134 sessões de estimulação cognitiva e multissensorial, de 525 avaliações psicológicas e de 213 reavaliações psicológicas.

•    Projeto “PAPI - Programa de Apoio Psicológico no Idoso®”, apresentado pela Peroneo – Centro Terapêutico, Lda. Este projeto, assenta numa prática clínica multidisciplinar de combate à doença (física e psicológica), na promoção da saúde e na prevenção da doença. Este programa, disponibiliza serviços que vão desde a avaliação à intervenção, bem como, programas de literacia em saúde, por forma a potenciar um envelhecimento ao longo do ciclo de vida, repleto de elevados níveis de saúde, bem-estar e qualidade de vida. O programa procura, igualmente, desenvolver projetos e investigações capazes de dar resposta às necessidades multidimensionais do idoso, com eficácia e resultados práticos visíveis. No ano de 2018, a experiência até então alcançada foi editada num livro, favorecendo a sua replicação.

•    Projeto “A beleza que não é só minha”, da Universidade Sénior de Tondela. Nas aulas de Gerontologia Social ministradas aos idosos foram proporcionados momentos de profundas reflexões sobre o mundo contemporâneo e no plano pessoal com a reavaliação das escolhas que fizeram ao longo da vida. A questão mais difícil e complexa de abordar foi a da beleza e da sensualidade na terceira idade. A fotografia surge como um desafio à reflexão pessoal e social sobre a beleza na terceira idade e a sua realização pelos alunos demonstra a segurança emocional adquirida por cada um. O projeto extrapola já a sala de aula e torna-se numa das exposições mais visitadas na galeria da ACERT.

•    Projeto “Avós(z) da ciência - Serviço Educativo da área sénior em Torres Vedras”, do Município de Torres Vedras. O projeto pretende dar a conhecer e valorizar a cultura e as tradições portuguesas a partir de um conjunto de atividades que eram comuns na primeira metade do séc. XX, explicadas agora cientificamente. O projeto assenta num conjunto de oficinas criadas e dinamizadas por seniores nas escolas onde as suas memórias pessoais se cruzam com o conhecimento científico.
Projeto “Cyber_Sénior”, promovido pela Fundação Otília Lourenço e Marido Dr. José Lourenço Júnior. Tem por objetivo principal criar e dinamizar atividades educacionais para um público sénior, bem como favorecer a interação deste público com jovens estudantes, num contexto de formação ao longo da vida, potenciando a aprendizagem das novas tecnologias para a utilização futura de serviços de teleassistência no domicílio. Este projeto pretende assim capacitar os seniores para a utilização eficiente das novas tecnologias, através de ações de formação certificadas dadas por alunos que frequentam os cursos de multimédia e informática na Escola Tecnológica e Profissional de Sicó, supervisionados por professores de informática e novas tecnologias.